Vídeo: Diário da ortognática – Pós-opertatório

Semana passada postei…

View more

Receita: Ratatouille

Lá em 2007…

View more

Dica de série: Unbreakable Kimmy Schmidt

Ontem foi meu…

View more

Comprei na china: Pincéis de maquiagem

Fazia um bom…

View more

Vídeo: Diário da ortognática – Pós-opertatório

Semana passada postei um vídeo falando sobre o meu pós-operatório, vem conferir:

Espero ter ajudado alguém. Se tiverem alguma dúvida, comentem lá no vídeo que tentarei ajudá-los o máximo que conseguir 🙂

Diário da Ortognática – Do sexto ao décimo mês

Diário da Ortognática - Do sexto ao décimo mês

Sei que andei sumida demais no diário da ortognática, mas é que depois de um tempo, fica meio parado, não tem muita evolução, mas agora estou com várias novidades e fotos de antes e depois para mostrar, então vamos lá.

Primeiro de tudo, sabe quando dizem que se você acha que desinchou, é só impressão? É bem verdade, estava olhando algumas fotos de Dezembro/Janeiro, quando eu achava que já estava super bem, e nossa, eu estava uma bola, mas agora que passou dá até para rir rs

 

Conforme vocês vão ver nas fotos que seguirem, nesse meio tempo eu já desinchei muito e tenho fé de que ainda vou perder um pouco de bochecha.

Eu finalmente tirei o aparelho no dia 11/04/2016 (opa, antes dos 22 rs) e fiz uma documentação nova, então eu trouxe a comparação da minha primeira documentação e da atualizada. Primeiro o raio-x panorâmico da face, porque antes de fazer a cirurgia eu amava ver onde os parafusos ficaram e como a estrutura da pessoa tinha mudado.

Diário da Ortognática - Do sexto ao décimo mês

Como vocês podem ver, foram muitos parafusos e uma diferença imensa no maxilar que fica bem evidente pelo último molar da direita que andou muito.

Diário da Ortognática - Do sexto ao décimo mês

Na primeira imagem, da para ver que meu nariz era bem caído, mas depois da cirurgia ele ficou mais empinado e harmonioso. E como também mexi na maxila, o queixo “diminuiu” porque agora a mordida encaixa. Por fim, o lábio superior ficou mais evidente e harmonioso.

Diário da Ortognática - Do sexto ao décimo mês

A primeira foto foi tirada em Outubro/2013 e a segunda em Abril/2016. Eu nem estava maquiada e nunca pensei em compartilhar a primeira foto, mas achei essencial para essa comparação mostrar essa foto para mostrar minha evolução. Podemos ver como meu maxilar era para direita e como minha morda era estreita, mas agora tenho um sorriso amplo e bonito (desculpa, mas depois de tomar sopa por mais de um mês sem gostar de sopa para arrumar meu sorriso, me dou o direito de achar ele lindão rs).

Diário da Ortognática - Do sexto ao décimo mês

Como comentei após o raio-x, meu nariz ficou mais empinado e meu lábio mais evidente, o que deixou meu perfil bem mais bonito. Antes eu jamais tiraria fotos de perfil, mesmo antes de saber do meu problema já não gostava desse ângulo do meu rosto, mas agora estou super contente com ele.

Diário da Ortognática - Do sexto ao décimo mês

Um zoom no antes e depois do sorriso. Vocês acreditam que tinha gente que ainda desacreditava quando eu falava que precisava de cirurgia ou até mesmo de aparelho? Mas está aí a prova de como bons profissionais podem fazer muita diferença.

Diário da Ortognática - Do sexto ao décimo mês

Por fim, duas fotos casuais. Na primeira eu estava usando o aparelho há apenas dois meses, da para ver como meu nariz apontava para baixo e como minha maxila era profunda, e a segunda foi tirada quase dois meses depois de tirar o aparelho, nariz levantado, maxila harmoniza e até arrisquei no batom vermelho 🙂

Quanto a fono, ainda estou fazendo uma sessão por semana, porque tive que corrigir minha fala do s, t e d e também tive que reaprender a engolir, beber e respirar, já que eu projetava muito a língua para frente e isso poderia gerar mais problemas no futuro. Não é todo mundo que precisa de um tratamento tão longo quanto o meu, então não se assuste, mas como já disse anteriormente, eu apoio muito o acompanhamento de um fonoaudiólogo no pós-operatório, porque tudo é muito novo e um profissional especializado pode te ajudar a se adaptar mais rápido.

O post foi de muitas fotos porque queria que vocês pudessem comparar bem os resultados. Espero que esses relatos possam ajudar cada vez mais pessoas e agradeço ao pessoal que mandou emails com dúvidas ou agradecendo os posts.

Se você ainda tiver dúvidas sobre o processo, é só comentar ou mandar um email, vou responder com muito prazer.

Diário da ortognática: Quarto e quinto mês

Diário da ortognática: Quarto e quinto mês

Não tenho grandes novidades desde o último post, ainda estou de aparelho por conta do meu canino teimoso e acredito que vou continuar com ele por mais uns dois meses porque ele ficou torto e agora está muito separado. Acredito que lá para o sétimo mês devo conseguir fazer um antes e depois completo sem o aparelho.

Não comentei isso em outros posts, mas eu não tenho sentido dor alguma, e isso inclui as dores de cabeça horríveis que eu costuma sentir antes da cirurgia.

Tive uma pequena melhora da sensibilidade do céu da boca, estou sentindo o lado direito uns 95%, por outro lado, quase não sinto a gengiva da arcada superior (sempre esquecia de comentar).

Aos poucos consigo ver a melhora do inchaço e me sinto melhor com relação a isso. O engraçado é que as vezes me olho no espelho e acho que já está desinchado e quando olho alguns dias depois, está mais desinchado ainda rs Acabei perdendo a noção de como meu rosto realmente era.

A fono tem ajudado muito, percebo que quando negligencio os exercícios fico com mais cansada quando mastigo muito. Enfim, a fono fez milagres por mim rs.

Se você quiser tirar alguma dúvida ou compartilhar suas experiências, não esquece de deixar um comentário, será um prazer ler 😀

Diário da Ortognática: Terceiro mês

Diário da Ortognática: Terceiro mês

Terceiro mês de pós-ortognática e eu estou cada dia mais ansiosa para ver o resultado final sem aparelho, pensei que seria mais rápido :/

Mas a pior parte já foi, não é mesmo? rs A previsão que minha ortodontista deu em Julho era que o tratamento terminaria em Novembro, mas meu canino esquerdo resolveu teimar e não ficar totalmente alinhado a tempo rs
Na última consulta, a nova previsão é mês que vem, ou melhor, semana que vem, já que minha consulta é na quinta-feira (03/12).

Minha sensibilidade não teve nenhuma evolução, mas como disse em posts anteriores, a minha recuperação nesse sentido foi muito boa e só não sinto o lado direito do céu da boca perfeitamente, o que não me incomoda muito.

Ainda estou inchada, mas agora é algo bem menos perceptível, só eu e o cirurgião que percebemos rs

Minha mastigação está perfeita desde o mês passado e os exercícios com a fono tem evoluído e agora estou trabalhando mais a forma de colocar a língua corretamente ao falar.

Em muitos blogs que li, vi alguns pacientes subestimando as sessões de fonoaudiologia do pós-operatório, mas eu acredito que se eu não as tivesse feito, eu não teria progredido tanto, não só na parte do inchaço e motricidade, mas quanto a fala e posicionamento de língua. Se eu tivesse mantido a mesma forma de falar, mastigar e até mesmo de descansar a língua, eu poderia estragar meu tratamento de mais de dois anos…

Eu entendo que nem todos podem arcar com as despesas da cirurgia e do pós-operatório, mas eu incentivo a quem precisa deste tipo de intervenção a procurar ajuda pelo SUS ou até mesmo em instituições de ensino que fornecem tratamentos a baixo custo, pois a ortognática é bem mais do que uma cirurgia para melhorar a estética facial, e falo por experiência própria, porque desde que a fiz, sinto menos dores, respiro, falo e durmo melhor.

Se você quiser tirar alguma dúvida ou compartilhar suas experiências, não esquece de deixar um comentário, será um prazer ler 😀

Diário da ortognática: Segundo mês

Esse mês tive várias evoluções: meu rosto está praticamente normal, passei a fazer sessões de fono e fiz minha primeira manutenção.

Diário da Ortognática: Segundo mês

Com a ajuda dos exercícios da fono e uma drenagem linfatica facial de vez em quando, meu inchaço já foi quase todo embora.

Por conta da mordida errada, minha língua era muito espalhada na boca e eu falava com a língua meio presa, então eu não podia escapar dos exercícios da fono rs. Eu achava que a fono só ia me ajudar a morder direitinho, posicionar a língua certa, mas é incrível como eu sinto que falar se tornou mais fácil, antes eu travava em várias palavras e agora até estranho quando consigo falar super bem.

Repetia todos os exercícios por 30 segundos na primeira semana e 40 a partir da segunda. Vou tentar explicar cada exercício. Primeiro os de língua:

  • Trrrr – vibrar a língua como se estivesse falando um “R” em grande;
  • Estalo – estalar a língua, tipo a gente fazia quando era criança para imitar o relógio rs;
  • Cima/baixo – encostar a ponta da língua no lábio superior e inferior;
  • Rabo de cachorro – balançar a língua entre uma bochecha e outra bem rápido, que nem um rabinho mesmo;
    Lalala – fica falando lalalalalalala;
  • Colar – colar a língua no céu da boca, como se fosse fazer o estalo do segundo exercício e ficar abrindo e fechando (no meu caso, só comecei a fazer esse na segunda semana).

Esses exercícios me ajudaram bastante na questão da língua presa e também me ajudaram a não morder mais a língua dos ladinhos.

Exercícios para os lábios:

  • Vibrar: que nem a gente faz com bebê brrrrrrrr;
  • Bico e sorriso de boca fechada: é importante manter um ritmo;
  • Peixinho: imitar peixinho, mas sem puxar as bochechas e ficar abrindo e fechando os lábios;
  • Boca de velha: esse eu só comecei a fazer mesmo na terceira semana, porque doía quando eu puxava o lábio superior;
  • Pressionar um lábio no outro.
  • Estes ajudaram no inchaço e na “elasticidade” dos meus lábios.

Exercícios para bochecha:

  • Passar o ar de uma lado para o outro: importante manter os dentes fechados e passar de um lado para o outro;
  • Levantar o rosto: puxar o rosto de baixo para cima.

Comparação do meu rosto antes da cirurgia (acho que exagerei na sobrancelha nesse dia rs) e dois meses depois da cirurgia.

Diário da Ortognática: Segundo mês

Estes sãos os que achei que conseguiria explicar escrevendo, se um dia fizer algum vídeo explicativo, incluo aqui para ilustrar melhor. Eu quis explicar cada exercício para ajudar quem não tem acesso a esse tipo de profissional ou tem curiosidade, mas o melhor é sempre procurar a orientação e um fonoaudiálogo para saber o que é melhor para você e quando você deve fazer. Respeite sempre os seus limites e não insista em exercícios que causem desconforto, converse sempre com o seu cirurgião, seu dentista e, se possível, com um fonoaudiálogo.

Minha primeira manutenção foi na terça‐feira (13/10) e para minha felicidade, só preciso descer o canino esquerdo um pouco e estarei liberada deste sofrimento chamado aparelho ortodôntico haha. Se tudo der muito certo, tiro o aparelho mês que vem (quatro meses depois da cirurgia!).

Diário da Ortognática: Segundo mês

Eu sinto que meu rosto está mais “suave”, que tudo orna, não sei explicar, só sei dizer que me sinto melhor. Tentei fazer uma montagem para comparar o antes e depois do perfil, que é o ângulo que mais da para notar diferença.

Peço desculpa pelas fotos, mas eu não gosto muuuito de ficar tirando selfies rs Então não tenho muitos registros nem de antes, nem de depois.

Bem, este é o meu relato do mês, espero estar ajudando vocês e, caso tenha alguma dúvida,  deixa nos comentários abaixo, vou amar ajudar!

Diário da Ortognática – Um mês de cirurgia

Depois de um mês de cirurgia, eu estava bem menos inchada, porém minha mordida ainda não fechava e minha linha média ainda não estava perfeita 🙁 Claro que morri de desespero no intervalo entre as consultas, já pensando que a cirurgia não tinha dado certo e que eu ia ter que fazer de novo rs.

diario-ortognatica-um-mes
Quando cheguei na consulta, meu cirurgião disse que eu estava ótima (ufa) e que era super normal a mordida não fechar de cara, porque pode ser que tenha um dente que “bata” primeiro, ai ele colocou os tão malfados elásticos em mim e eu dramática e precipitada já estava achando que ia sofrer horrores, mas que nada, eu até me sentia mais confortável, já que finalmente eu sabia como morder. Então, não temam os elásticos, eles são até legais rs.
Com um mês eu estava louca para mastigar, então eu logo perguntei: já posso mastigar? (tipo, por favor, pelamor de Deus, libera a comida). Mas não, ainda não podia e tive que manter a dieta liquida, porém, como nunca fui fã de sopa, confesso que dei uma teimada e comi um pouco de comidas bem molinhas (macarrão, ovo cozido….) e picadinhas para matar a vontade…

diario-ortognatica-um-mes-elasticos

Umas duas semanas depois e colocar os elásticos, fui na minha dentista e ela trocou o fio que teve que ser cortado durante a cirurgia e como minha mordida já estava bem fechada, trocou um pouco a posição dos elásticos para finalizar de corrigir a mordida.
À essa altura, eu já estava indo para faculdade normalmente, só que comia antes de ir, para não ter que comer lanche e mastigar. Apesar de saber que não faria mal algum, trabalhei de casa durante esse período de recuperação para evitar grandes esforços (temos que aproveitar as oportunidades rs).

diario-ortognatica-um-mes-rosto

Meu rosto estava assim com pouco mais de um mês.

Um mês depois e mesmo depois de todo o sofrimento, eu só tive certeza que foi a melhor decisão que tomei, jamais teria um resultado tão perfeito somente com o aparelho. Se você precisa fazer e ainda está na dúvida, eu indico com toda a certeza!

Diário da Ortognática – Pós-operatório

Opa, dei uma sumida aqui, mas por razões nobres: estava atolada de trabalhos na faculdade. Vamos ao que interessa, como foi meu pós-operatório…

Como falei no post anterior, assim que sai da cirurgia fui para sala de recuperação de anestesia, mas o que esqueci de mencionar é que quando acordei eu nariz estava super congestionado e sangrou muito e isso continuou por +/- dois dias. Como eu não podia assoar o nariz, eu usei o Rinosoro Jet e gases para limpar (eca rs).

Diário da Ortognática - Pós-operatório

Alimentação

Apesar de não estar com a boca amarrada, minha alimentação foi bem restrita, nos 3 primeiros dias não consegui usar nem a colher, então era sopa, iogurte, água, suco, enfim, só líquidos por meio da seringa, porque sugar no canudo doía. Depois disso, eu consegui comer com uma colher de sobremesa, mas a alimentação em si era a mesma: muitos líquidos! Minha mãe fez bastante feijão com bastante caldo batido e eu ficava bem satisfeita, mas agora só de olhar um tutu já fico enjoada rs.

Medicação

Tomei antiinflamatório por três dias, antibiótico por 7 dias e analgésico por quase um mês. Só tive dores fortes quando tentei parar de tomar o analgésico com menos de duas semanas, fora isso, só pequenos desconfortos.

Inchaço & Hematomas

O pico realmente é no terceiro dia, então não se assuste se acordar cada vez maio, é normal, só procure colocar bastante compressas de gelo e se possível, massagear o rosto suavemente, só para ajudar na drenagem. Depois de aproximadamente duas semanas, eu troquei a compressa gelada pela morna, o que eu acredito que pode até ser feito antes, mas o medo de ter um sangramento era tão grande, que preferi adiar um pouco.

Não tive hematomas!

Higienização

Eu não aguentei ficar sem escovar os dentes, então no primeiro dia eu já escovei os dentes com uma escova curaprox para gengivas – ela tem um formato um pouco diferente, é menos e bem macia, o que facilita muito – e a bitufo para aparelhos ortodônticos. Não conseguia fazer uma limpeza 100%, mas era melhor que nada. Também usei o Periogard sem álcool para um leve bochecho e como não conseguia limpar a parte cima, limpa com um cotonete molhado com o Periogard. Com duas semanas já estava escovando os dentes bem melhor e até arrisquei passar fio dental com bastante cuidado.

Li muitos relatos onde as pessoas reclamavam de espinhas, mas como lavava o rosto quase 2x por dia com o sabonete líquido da Clean&Clear, passava o adstringente da mesma marca e quando uma espinha ameaçava sair, já passava o gel secante, eu tive pouquíssimos problemas.

Com pouco mais de duas semanas arrisquei uma limpeza mais profunda com uma máscara da Avon e depois disso minha pele voltou quase 100% ao estado original.

Todos os meus itens de sobrevivência pós-ortognática.

  1. Escova Dental Curaprox Ultra Soft – Pink
  2. Escova Dental Intertufo Cônico
  3. Shampoos a Seco Charming – Sem resíduos
  4. Protetor Labial Nivea – Morango
  5. Rinosoro Jet – Jato Contínuo
  6. Solução Bucal Periogard – Sem Álcool
  7. Sabonete Liquido Facial Clean & Clear – Regular
  8. Adstringente Clean & Clear – Regular
  9. Solutions Clean Avon – Máscara Facial Limpeza Profunda
  10. Aspa Nécessaire Shampoo à Seco – Sicilian Taste

Pontos

Para fixar alguns parafusos, ele fez dois cortes externos, e com uma semana eu já pude tirar os pontos deles. Comecei a usar uma pomada cicatrizante, mas me deu uma baita alergia, então tive que parar, mas nesse meio tempo o corte chou. A cicatriz ficou bem discreta, quase não da para ver, mas mesmo assim vou tentar usar alguma pomada para ver se some.

Depois de duas semanas, pude tirar boa parte dos pontos internos e com isso meu inchaço melhorou consideravelmente, principalmente no lábio superior.

Parestesia

Logo após a cirurgia eu estava com aquele sensação horrível que metade do meu rosto não fazia parte de mim, não sentia o céu da boca inteiro, nem as bochechas, algumas partes do queixo e o lábio superior. Conforme o inchaço diminui, a sensibilidade aumenta – você vai sentindo pequenos choques até ela voltar completamente.

Noites

Dormir era um pouco desconfortável, porque eu estava acostumada a dormir de bruços ou de lado e depois da cirurgia você só pode dormir de frente e, de preferência, com um travesseiro alto, porque quando eu tentava dormir com um mais baixo, sempre acordava no meio da noite com um pouco de dor no rosto.

Esse foi o meu relato das primeiras semanas de pós-operatório da cirurgia ortognática,  se você tiver alguma dúvida ou quiser compartilhar sua experiência comigo, é só deixar nos comentários ou enviar um email para contato@bylecca.com.br.